terça-feira, novembro 15, 2005

O Tempo

O tempo é um conceito que nos escorrega pelas mãos e quanto mais pensamos nele mais o deixamos passar e se torna mais complexo mas vale a pena ver as diversas vertentes.

Para Deus o tempo é sempre agora.

Não há depois nem antes, mais logo ou mais à tardinha... Com ele já foi, é e ainda será.

Quando dizemos às nossas mães que "Já vou despejar o lixo" este é "já"um conceito muito mais lato pois pode corresponder a 10m, tempo que demora a terminar um jogo de Pro Evolution Soccer 5, a 30 minutos caso estejamos a ver um episódio do Gato Fedorento ou até mesmo a um "nunca" se não estivermos para aí virados.

Um outro aspecto é a duração que o tempo pode ter.

Quando estamos à espera de uma coisa que queremos muito o tempo demora a passar que até doi...

Por exemplo agora estou à espera de ir para a Polónia para ir ter com a minha Mila... Hurra!!! Uma hora demora mais tempo a passar que uma viagem a Marte...

Se por outro lado estamos a fazer uma coisa em que estamos especialmente satisfeitos o tempo é como pão com mateiga e sumos em frente a miúdos de 7 anos... voa que é um instante.

Há finalmente o aspecto final do tempo... quando chegar o nosso tempo todos perguntamos se o vivemos da melhor maneira.

Deus, lá de cima deve-se rir connosco... senão reparem, gastamos o nosso tempo e saúde em ganhar dinheiro para depois o gastarmos todo a recuperar o tempo e a saúde que perdemos durante a nossa vida.

terça-feira, novembro 08, 2005

Acredito no Perdão de Deus

Acredito... No perdão/amor de Deus... e que o Inferno está vazio.

Num plano divino o tempo e o espaço são um só momento eterno... como que um segundo fosse toda a eternidade...

a imagem que eu encontro para melhor expressar esta fórmula é dizer que para Deus o tempo não é uma linha horizontal mas uma linha vertical em que tudo o que foi ou será, é!

"Deus disse a Moisés: « EU SOU AQUELE QUE SOU .»" Ex 3, 14


Reconheço que não consigo pôr em palavras aquilo que penso mas vou tentar e por isso peço paciência se cometer alguma gaffe...

Partindo do prosuposto que Deus É, o convite à conversão é simultâneo à Criação, evolução, à Ressurreição e à salvação... em termos práticos é como se Deus nos perdoasse/amasse antes, durante e após a nossa passagem terrena, numa espécie de convite que ecoa na eternidade.

Como a eternidade é muito "grande" seria impossível para nós constantemente recusarmos este convite, visto que Deus é o supremo bem e em última instância estamos todos perdoados e no amor de Deus nessa plenitude dos tempos.

Desculpem, realmente isto é muito difícil de pôr para palavras... e se calhar até é um grande erro teológico mas pronto fica aqui mais um ponto de reflexão

Em comunhão